Últimas notícias:
Loading...

Exposição de Pierre Verger enaltece a cultura negra no Maranhão

Mostra online apresenta 80 fotos inéditas feitas na década de 1940

Todos os dias

24 horas

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

O Centro Cultural Vale Maranhão preparou um presentão para quem adora fotografia e história. Está no ar uma exposição virtual com 80 imagens capturadas pelas lentes do fotógrafo francês Pierre Verger (1902-1996) no estado nordestino durante a década de 1940. E são registros inéditos!

Pierre Verger fez retratos impressionantes do Maranhão nos anos 40
Créditos: Pierre Verger/Fundação Pierre Verger
Pierre Verger fez retratos impressionantes do Maranhão nos anos 40

Verger tinha grande interesse nas relações culturais e religiosas entre o Brasil e a África, e o tema está presente em todo o seu trabalho. Essa paixão motivou-o a fazer uma iniciação no Candomblé da Bahia e no Ifá do Benin, o que contribuiu – e muito – para as suas pesquisas.

Seus cliques no Maranhão, além de explorarem essas questões, revelam as atividades econômicas e filosóficas que se tornaram em aspectos formadores da nossa cultura.

Em suas andanças maranhenses, o fotógrafo documentou a ação dos estivadores na zona portuária da Praia Grande, bem como a a pesca de tubarões na região, a extração e o processamento do óleo de coco babaçu, diversas festividades religiosas e outras atividades marcantes.

Exposição virtual revela 80 fotografias inéditas de Pierre Verger
Créditos: Pierre Verger/Fundação Pierre Verger
Exposição virtual revela 80 fotografias inéditas de Pierre Verger

Pierre Verger também conseguiu uma série de registos raros, como o de caixeiras do Divino Espírito Santo em uma pequena festa, o de uma punga (espécie de samba) de homens em uma roda de tambor ou mesmo o do Festejo do São Raimundo de Mulundus, em homenagem ao santo vaqueiro.

Além disso, visitou inúmeras vezes as duas casas religiosas africanas mais antigas de São Luís, a Casa das Minas e a Casa de Nagô, documentando o protagonismo feminino na criação dessas instituições.

A exposição é fruto de uma parceria do Centro Cultural Vale Maranhão com a Fundação Pierre Verger. Seu principal objetivo é ampliar o acesso do público a um acervo de imagens históricas do Maranhão – e ao mesmo tempo celebrar o legado da cultura negra no Brasil.

Gostou da dica? Veja mais dicas artísticas para aproveitar online: