Caixa antecipa 2ª parcela de auxílio emergencial; problemas continuam

Cerca de 5 milhões de brasileiros que ainda não tiveram a 1ª parcela liberada receberão o pagamento inicial nesta quarta-feira

Por: Redação

Nesta quinta-feira, 23, trabalhadores informais e pessoas inscritas no Cadastro Único de Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) nascidas em janeiro e fevereiro receberão a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) para reduzir os efeitos da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. A antecipação foi anunciada nesta segunda-feira pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Fila de atendimento em agência da Caixa
Crédito: PMC/Fotos PúblicasGuarda municipal da cidade de Caruaru (PE) orienta pessoas a manterem distância enquanto aguardam atendimento da Caixa

Na sexta-feira, 24, será a vez de os beneficiários nascidos em março e abril receberem a segunda parcela. No sábado, 25, o pagamento será feito aos beneficiários nascidos em maio e junho. Na segunda, 27, receberão os nascidos em julho e agosto. Na terça, 28, os nascidos em setembro e outubro, e na quarta-feira, 29, os nascidos em novembro e dezembro. As informações são da Agência Brasil.

Originalmente, o pagamento pela Caixa começaria na próxima segunda-feira, 27, para nascidos de janeiro a março. A antecipação não afeta as pessoas inscritas no Bolsa Família, que continuarão a receber no calendário tradicional de pagamento do programa, nos últimos dez dias úteis de abril, de maio e de junho.

Mensagens fakes de cadastro para auxílio emergencial roubam dados

Reclamações

Segundo Guimarães, cerca de 5 milhões de brasileiros que ainda não tiveram a primeira parcela liberada receberão o pagamento inicial nesta quarta-feira, 22, e a segunda parcela, no dia seguinte. Não são poucas as pessoas que reclamam de problemas de acesso ao aplicativo. Na manhã desta terça-feira, 22, a hashtag #CaixaTemNada liderava os assuntos mais comentados do Twitter, com uma série de reclamações de beneficiários que ainda não conseguiram liberação do auxílio.

O presidente da Caixa disse ainda que os informais e os integrantes do CadÚnico que não tiveram a solicitação do aprovada e forem aprovados depois do calendário de pagamento da segunda parcela poderão receber dois auxílios de uma única vez. “Uma notícia positiva para quem está esperando a análise. Nós entendemos que essa espera é frustrante, mas uma boa notícia é que quando você for receber, você receberá de uma só vez duas parcelas”, declarou.

O vice-presidente da Caixa, Paulo Henrique Angelo, afirmou que pessoas do CadÚnico que tiverem a solicitação de auxílio negada poderão pedir uma reanálise dos dados.

“Se a pessoa entrar no site e tiver a informação de que não foi aprovada, ela terá a possibilidade de contestar essa negativa. É uma novidade”, disse. Angelo.



“Se você [integrante do CadÚnico] está com um status de não aprovado, mas discorda dessa informação, entende que tem o direito, nós liberamos a possibilidade de fazer o cadastro no aplicativo ou no site. Será possível realizar o cadastro das informações, a Caixa vai remeter as informações para a Dataprev, que fará uma nova avaliação”, acrescentou o vice-presidente da Caixa.

O presidente da Caixa anunciou que uma nova atualização do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, liberada nesta segunda. 20, para dispositivos móveis do sistema Android e nesta terça, 21, para o sistema iOS, permitirá que o usuário conteste benefícios negados e refaça o cadastro no aplicativo, com a correção de dados. A atualização do cadastro já está disponível para o aplicativo e o site auxilio.caixa.gov.br, não nas agências bancárias.

Os novos dados serão analisados pela Dataprev, estatal federal de tecnologia, e pelo Ministério da Cidadania, que definirão se o benefício será liberado. A atualização do cadastro, no entanto, não estará liberada quando duas pessoas da mesma família estiverem recebendo o auxílio.

Balanço da Caixa

Segundo Guimarães, a Caixa já pagou o auxílio emergencial a mais de 24,2 milhões de brasileiros, num total de R$ 16 bilhões. Mais de 10 milhões de contas poupança digitais foram abertas sem custo. “Nesta semana, vamos pagar a 26,3 milhões de brasileiros. Isso é mais que a população da Austrália, que tem 25 milhões de habitantes”, disse.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que, até o fim da semana, 42 milhões de pessoas deverão estar recebendo o auxílio emergencial. “Estaremos bancarizando mais de 20 milhões de brasileiros que nunca tiveram conta bancária e dando condições para que o estado brasileiro enxergue aqueles que eram invisíveis e agora são visíveis”, disse. “Nenhum país fez um movimento deste tamanho com tanta segurança, tanta rapidez e atingindo aqueles que verdadeiramente mais precisam.”

CPF irregular

O ministro comentou a suspensão, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), da liminar que permitia a concessão do benefício a pessoas sem Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou com o CPF em situação irregular. Segundo Lorenzoni, o CPF é essencial para evitar fraudes no pagamento do auxílio emergencial.

“É importante lembrar que todo o sistema financeiro brasileiro é estruturado em cima dessa informação [o CPF], e é muito importante que pudéssemos manter a exigência. Só com o CPF, evitamos que mais de 70 mil prisioneiros recebessem o recurso que era direcionado para quem não precisa”, disse Lorenzoni.

Assim, a regularização do Cadastro de Pessoa Física (CPF) voltou a ser exigida para a liberação do auxílio emergencial.

Veja os sintomas mais comuns da covid-19

Compartilhe: