Filha relata abuso sexual de João de Deus dos 10 aos 14 anos

"Ele tirou minha roupa toda, tirou a dele e ficou a noite inteira me molestando", disse Dalva Teixeira

Por: Redação
Dalva Teixeira
Crédito: Reprodução / TV RecordDalva Teixeira falou sobre os casos em entrevista à TV Record

Dalva Teixeira, uma das filhas do médium João de Deus, afirmou que foi vítima de abusos sexuais do pai durante a infância, dos 10 aos 14 anos. A acusação foi gravada em entrevista para uma rádio de Goiânia, em 2016, e exibida pelo Jornal da Record na noite desta terça-feira, 11.

Segundo Dalva, sua mãe teve um relacionamento curto com o médium e ela só chegou a conhecer o pai quando tinha 10 anos. “[Quando o conheci], ele tirou minha roupa toda, tirou a dele e ficou a noite inteira me molestando”, disse a filha.

Os casos de abuso se repetiram por quatro anos. “Isso foi até os 14 anos, quando então eu me casei para sair de casa.” Ela conta que o pai reagiu com violência ao saber do casamento. “Me bateu muito, muito. Eu fui parar no hospital”, continuou.

“Ele é manipulador. Ele é mau. Ele é estranho, é diferente. Eu já pedi muito a Deus que ele se arrependesse do que fez e faz”, afirmou Dalva no vídeo.

“Meu pai é um monstro”

Em entrevista à revista Veja, Dalva chegou a dizer que João de Deus é um monstro e ainda relatou como teria sido o estupro.

Na descrição contada à publicação, que estará nas bancas de todo país na edição desta semana da revista, Dalva conta que, na ocasião, o pai a mandou ficar nua e passou o pênis por todo seu corpo.

“Ele me levou para o quarto dele, tirou minha roupa toda e eu achei aquilo estranho. Aí eu perguntei: o que você está fazendo? E ele disse: o pai vai fazer um trabalho espiritual com você com Dom Inácio de Loyola, aí ele pegou, ficou pelado, se despiu todo e começou a passar o pênis dele no meu corpo todo. Aí ele pegou e foi. Aí eu falei: ‘ai, está me machucando’, e ele em cima de mim. E eu: ‘está me sufocando’. Aí eu peguei e saí correndo”, contou Dalva.

Na Justiça

A filha processou João de Deus e pediu uma indenização de R$ 50 milhões. O processo corre em segredo.

Um dos filhos de Dalva, Paulo Henrique Ronda, também gravou entrevista no mesmo ano, afirmando ter sido espancado a mando do avô por ter ido à Justiça contra ele. “Bateram em mim e no meu irmão. Eram pistoleiros, e um deles disse: ‘Não é para matar. É só para dar um susto para eles saberem que estão mexendo com peixe grande'”, contou.

O jornalista Thiago Mendes, que fez a entrevista, declarou que foi aconselhado por familiares a não exibi-la na época. “Foi por isso que eu guardei e agora, com [os outros casos] vindo à tona, eu decidi publicar.”

A Record exibiu um outro vídeo, gravado por Dalva em 2017, em que ela aparece ao lado do pai e nega os abusos. A gravação foi divulgada nesta terça-feira, 11, pela defesa do médium. Os advogados da filha informaram que ela teria sido coagida a aparecer nas imagens.

Compartilhe: