SP adia Carnaval e cancela Parada LGBT devido ao coronavírus

A Parada LGBT+ e a Marcha para Jesus, que haviam sido adiados para novembro, foram cancelados oficialmente

Por: Redação

A Prefeitura de São Paulo decidiu adiar o Carnaval de rua e os desfiles das escolas de samba de 2021 e cancelar a Parada LGBT e Marcha para Jesus por conta da pandemia do novo coronavírus.

O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, no começo da tarde desta sexta-feira, 24.

Carnaval
Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil GeralPrefeitura de São Paulo decidiu adiar o carnaval de rua e os desfiles das escolas de samba de 2021

A nova data ainda não foi definida, mas a Liga das Escolas de Samba de São Paulo propõe que os desfiles sejam realizados no final de maio ou começo de julho.

Em entrevista ao G1, o presidente da Liga, Sidnei Carriuolo, disse que a decisão foi tomada para que as escolas tenham tempo de se preparar para os desfiles.

O adiamento do Carnaval já era esperado por escolas de samba e organizadores da festa de rua. No dia 15 de julho, o governador João Doria (PSDB) disse que megaeventos só poderiam acontecer após a criação de uma vacina contra à covid-19.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


“É a maior tragédia da história desse país em qualquer tempo. Não há nada a celebrar, não há nada a comemorar. E muita atenção àqueles que diante de um quadro como esse ainda querem fazer atividades fazer atividades festividades de Ano Novo ou de Carnaval”, disse Doria na ocasião.

Parada LGBT e Marcha para Jesus

A Parada LGBT+ e a Marcha para Jesus, que haviam sido adiados para novembro, foram cancelados oficialmente pela prefeitura.

“No ano passado a Marcha para Jesus juntou 3 milhões de pessoas e trouxe um benefício econômico para cidade de R$ 217 milhões. A organização da Marcha já afirmou que não fará em 2 novembro de forma presencial. Nos próximos dias vão apresentar para a prefeitura outro formato que não será de forma presencial”, disse Covas.

Por conta da pandemia, a Parada LGBT+ foi realizada em junho apenas de forma virtual. Já a Marcha para Jesus contou com apenas uma carreta.