Haddad ou Bolsonaro? Famosos declaram voto para presidente

Os candidatos do PT e do PSL disputam o posto de Presidente do país no próximo domingo, 28

famosos voto presidente
Crédito: Reprodução/FotomontagemFamosos revelam seus votos para presidente da República

Faltando dois dias para o segundo turno das eleições que elegerá o próximo presidente do Brasil, os famosos estão revelando seus votos para líder do Executivo Federal.

Dados dos principais institutos de pesquisa do país, Ibope e Datafolha, apontam uma vantagem de Jair Bolsonaro (PSL) que continua liderando a corrida presidencial. Impulsionado por escândalos envolvendo a candidatura de seu adversário, como a denúncia de campanha irregular no WhatsApp, Fernando Haddad conseguiu diminuir a diferença de seu adversário e manteve-se vivo na disputa.

Pesquisa do Vox Populi divulgada nesta quinta-feira, 25, mostrou que o petista conseguiu reduzir a distância para o militar. Enquanto Bolsonaro soma 53% dos votos válidos, Haddad tem 47%.

Do outro lado da ponta, os números de indecisos continua alto e pode ser decisivo para o resultado final. Nesse cenário, o apoio de famosos, muitos deles seguidos por milhões de internautas, pode ser decisivo.

Veja abaixo como eles votam:

Famosos pró-Haddad

O candidato do PT Fernando Haddad conta com o apoio massivo dos famosos que já declararam suporte à sua candidatura, com alguns, inclusive, participando de atos em favor do petista e da democracia.

O ex-prefeito de São Paulo conseguiu o feito de conseguir o apoio de celebridades declaradamente antipetistas, que apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, como o ator Marcelo Serrado, mas que optaram por Haddad no segundo turno, temendo os discursos violentos e de ódio da outra opção.

Nomes consagrados da música brasileira como Chico Buarque, Arnaldo Antunes, Caetano Veloso, Marcelo D2, Zélia Duncan, Martinho da Vila, Gal Costa, Gilberto Gil, Daniela Mercury, Emicida, Criolo, entre outros, votarão em Haddad.

Paulo Betti, José de Abreu, Fábio Assunção, Maria Ribeiro, Maria Clara Spinelli, Marieta Severo, Sonia Braga, Beth Carvalho, Osmar Prado, Sergio Mamberti, Samara Felippo, o poeta Sérgio Vaz, Caio Blat, Monica Iozzi, Débora Falabella, Leandra Leal, Preta Gil, Nicolas Prattes, Bela Gil, Mariana Xavier, Maria Flor, Clarice Falcão, Mano Brown, entre outros.

Fernando Haddad também ganhou o apoio de artistas declaradamente LGBTs, como as drag queens Pabllo Vittar, Aretuza Lovi, Lia Clark, a travesti Linn da Quebrada, a cantora transgênero Liniker e o cantor Johnny Hooker.

https://www.instagram.com/p/BpSds5FD-_C/?hl=pt-br&taken-by=sfelippo

View this post on Instagram

Não sinto medo. Sinto orgulho. #Democraciasim

A post shared by Sergio Vaz (@poetasv) on

https://www.instagram.com/p/BpVIZi0AwYF/?hl=pt-br&taken-by=caio_blat

View this post on Instagram

#BolsonaroNão #HaddadPresidente

A post shared by Monica Iozzi (@monica.iozzi) on

View this post on Instagram

Eu nunca votei no PT em outras eleições presidenciais. Quem me conhece sabe que sou uma mulher que sempre dialogou com as diferenças e sempre tentou encurtar as pontes entre elas. Com isso sempre busquei o caminho do meio nas minhas decisões, mas chega certa altura da vida que enfrentamos situações extremas. Como, por exemplo, a que vivemos agora, quando fica muito difícil atingir um equilíbrio, já que um lado da balança não tem NADA com o que me identifico e o outro não seria minha opção a princípio. Existem certas coisas que NUNCA serão admissíveis como: intolerância, barbárie, violações de direitos humanos adquiridos, discurso de ódio, incitação à violência, roubo, corrupção e por aí vai. Estive esses dias todos atenta, observando, lendo, estudando e averiguando as notícias para tomar essa decisão. Por isso tomei minha decisão baseada nos meus princípios. Roubo e corrupção estão sendo combatidos e estamos sim, todos, população, poderes judiciários e federais atentos e agindo contra roubalheira seja de que lado for, mas essa intolerância, esse ódio todo me assombra e me assusta. Peço que aqueles que não consigam respeitar ou entender meu posicionamento, que não me agridam, é meu direito. Eu tenho tentado respeitar e principalmente dialogar com amigos e familiares que pensam diferente de mim. Ninguém é obrigado a concordar com o outro e independentemente do resultado, o que importa é que teremos que conviver a partir do respeito, com as nossas diferenças na maneira de ser ou pensar, sem violência. O Brasil é de TODOS os brasileiros.

A post shared by Preta Gil 🎤 (@pretagil) on

Famosos pró-Bolsonaro

O político do PSL também conseguiu angariar bastante votos entre a classe artística, principalmente na parcela antipetista, com destaque para a atriz Regina Duarte que chegou, inclusive, a trocar farpas com o colega de trabalho José de Abreu.

Além de Duarte, Bolsonaro também conta com o apoio de Thiago Gagliasso, Antonia Fontenelle, Eduardo Costa, Zeze Di Camargo, Roberto Justus, Gusttavo Lima, Lobão, Zilu, Roger Moreira, Latino, os jogados Jadson, Lucas Moura, Felipe Melo o ex-piloto de Fórmula 1 Emersson Fittipaldi.

https://www.instagram.com/p/BpCjg14AOsZ/?hl=pt-br&taken-by=ladyfontenelle

https://www.instagram.com/p/BpAIsonFM_X/?hl=pt-br&taken-by=eduardocosta

Fica aí o questionamento!

Paralelo aos famosos acima citados que declararam abertamente seus votos em Haddad ou Bolsonaro, há uma outra parcela dos que, apesar de posicionarem pró ou contra um candidato no primeiro turno, não afirmaram se votarão no adversário direto agora no segundo.

Luciano Huck, por exemplo, chegou a fazer um post em que afirma “não votar” no PT, mas também teceu críticas duras a Bolsonaro, deixando em dúvida sobre quem será sua escolha, ou mesmo se votará branco/nulo. Nos comentários de sua publicação, o apresentador contou com o apoio de Fernanda Gentil.

As atrizes Bruna Marquezine e Bruna Linzmeyer que não votaram em Jair Bolsonaro, e no primeiro turno apoiaram Ciro Gomes, não se posicionaram, até o momento, sobre votar em Haddad. Marquezine, no entanto, reafirmou esta semana sua oposição ao militar.

Maitê Proença, que foi de Marina Silva no pleito do dia 7, postou uma mensagem reflexiva discorrendo sobre o perfil dos dois candidatos, mas não declarou voto. O mesmo aconteceu com Maria Fernanda Cândido que também votou na ex-senadora. Adepto do voto em Marina Silva, Marcos Palmeira não se posicionou sobre o segundo turno.

Em uma postagem discreta em sua conta no Instagram, Tais Araújo ressaltou a importância da democracia em uma publicação apontada por internautas como declaração de voto em Fernando Haddad.

Bruno Gagliasso, que votou em Ciro Gomes anteriormente, e chegou a protagonizar um desentendimento com seu irmão, Thiago Gagliasso, por divergências político-ideológicas, deverá votar em Haddad, assim como sua esposa, Giovanna Ewbank – embora nenhum dos dois tenha declarado voto abertamente.

Alessandra Maestrini, que votou em João Amoêdo, também fez uma postagem enigmática sobre o amor cristão à diversidade. Ney Matogrosso e Leo Jaime que apoiaram Ciro Gomes também não se manifestaram.

Compartilhe: