Cientistas criam fone que trata a tristeza pós-término amoroso

Aparelho funciona a estimulação transcraniana por corrente contínua, o que já é usado em alguns casos de depressão

Técnica demonstrou melhoras significativas nos sentimentos de tristeza
Créditos: watman/DepositPhotos
Técnica demonstrou melhoras significativas nos sentimentos de tristeza

Cientistas disseram ter criado um fone de ouvido que pode aliviar o sentimento de tristeza, negatividade e depressão que geralmente surgem após ao fim de um relacionamento.

A ideia do estudo era chegar a um método para aliviar os sintomas da chamada “síndrome do trauma amoroso”.

Esse é um termo usado para descrever o conjunto de sintomas emocionais e psicológicos que uma pessoa pode experimentar após o término de um relacionamento amoroso intenso ou traumatizante.

Para isso, os pesquisadores recorreram a um aparelho que funciona com a estimulação transcraniana por corrente contínua.

A equipe de pesquisa divulgou os resultados revista científica Journal of Psychiatric Research.

Testes clínicos

Em um estudo, 36 voluntários com síndrome do trauma amoroso usaram o dispositivo, que estimula o cérebro com uma leve corrente elétrica.

Eles fizeram uso desse aparelho por 20 minutos, duas vezes ao dia, com intervalos de 20 minutos entre elas, por 5 dias consecutivos.

Após o fim dos testes, os pesquisadores concluíram que estimular a região do córtex pré-frontal dorsolateral pode trazer bons resultados, reduzindo significativamente os sentimentos da síndrome do trauma amoroso.

De acordo com os pesquisadores, um mês após a interrupção do tratamento, os voluntários ainda se sentiam melhor. Eles dizem que os resultados promissores, mas requerem replicação em ensaios maiores.

Nos últimos anos, a pesquisa clínica começou a utilizar as técnicas como a estimulação transcraniana por corrente contínua. Há estudos que têm testado fones de ouvido semelhantes no tratamento de depressão leve.

“Como as emoções negativas dominam após o fracasso de um relacionamento emocional e ocorre a desregulação emocional, a regulação emocional é considerada o principal objetivo do tratamento.

De acordo com os autores, embora existam abordagens de tratamento eficazes, como a terapia cognitivo-comportamental, nem sempre esses tratamentos funcionam em todos os pacientes.

“Considerando a relação entre o trauma amoroso e a regulação emocional, que está associada à ativação de áreas e redes cerebrais específicas, os métodos de tratamento que abordam as áreas cerebrais envolvidas podem ser promissores.”

Síndrome do trauma amoroso

A síndrome do trauma amoroso é um fenômeno semelhante ao luto ou a uma forma de estresse pós-traumático. Geralmente, a pessoa enfrenta uma série de dificuldades para superar a perda e reconstruir sua vida emocional.

A condição pode causar sofrimento emocional, depressão, ansiedade, insônia, alterações de humor e maior risco de suicídio, bem como sentimentos de insegurança e culpa.

Vários fatores podem contribuir para a intensidade e a duração dos sintomas, como a intensidade do relacionamento e a forma do término. Términos abruptos, traições ou abandono podem intensificar os sentimentos de trauma.