Publicidade

Informar

Dieta recomendada pela OMS reduz risco de câncer e diabetes

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade
Crédito: Getty Images/iStockphotoNa mesa de países nórdicos estão presentes os peixes, cereais vegetais e frutas vermelhas

De tempos em tempos surge uma nova dieta que acaba virando moda. Algumas de tão radicais trazem mais malefícios que benefícios ao corpo. No entanto, um hábito alimentar adotado no norte da Europa tem sido visto com bons olhos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A dieta nórdica, como é chamada, além de ajudar na redução e manutenção do peso, pode reduzir o risco de doenças relacionadas à obesidade, como o câncer, diabetes e problemas cardiovasculares.

O estudo da OMS também apontou os mesmos benefícios na dieta mediterrânea, que compartilha algumas semelhanças com a dieta nórdica.

O que consiste a dieta nórdica?

Crédito: Getty Images/iStockphotoÓleo de canola substitui o azeite na dieta nórdica

Como indica o nome, a dieta nórdica inclui alimentos provenientes principalmente de países como Suécia, Noruega, Finlândia, Islândia e Dinamarca, tal como frutas vermelhas, legumes, folhas verdes, grãos integrais, óleo de canola e peixes, incluindo os mais gordurosos, como o salmão e a cavala que são consumidos várias vezes durante a semana.

A maior diferença observada entre a dieta mediterrânea e a nórdica é que esta última utiliza o óleo de canola no lugar do azeite de oliva.

A dieta nórdica foi criada em 2004 por um grupo de nutricionistas, cientistas e chefs, a fim de abordar as crescentes taxas de obesidade e práticas agrícolas insustentáveis ​​nos países nórdicos. Em comparação com uma dieta ocidental média, a nórdica contém menos açúcar, menos gordura, duas vezes mais fibras e mais peixes.

Crédito: Getty Images/iStockphotoFrutas vermelhas também são adotadas na dieta nórdica

Nesse padrão alimentar, ovos, queijo e iogurte são consumidos com moderação. Já carne vermelha e gorduras animais entram raramente no cardápio.

A Organização Mundial da Saúde afirma que as populações não nórdicas podem adaptar a dieta à suas realidades regionais, priorizando o consumo de cereais integrais, frutas e vegetais.

Assim como Brasil, que tem um guia alimentar próprio (veja aqui), a Dinamarca, também publicou um guia geral de alimentação, em que estabelece algumas orientações para seguir a dieta nórdica. Veja abaixo:

  1. Coma mais frutas e vegetais todos os dias;
  2. Coma mais produtos de cereais integrais;
  3. Consuma mais alimentos do mar e dos lagos;
  4. Coma carne de melhor qualidade, mas em menor quantidade;
  5. Coma mais comida vinda de paisagens selvagens;
  6. Prefira produtos orgânicos sempre que possível ;
  7. Evite aditivos na comida;
  8. Abuse de alimentos mais abundantes de cada estação;
  9. Coma mais comida caseira
  10. Gere menos desperdício

Leia também:

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Você sabe o que é feminicídio?

O restaurante de comida havaiana do ex-masterchef Ravi

Conheça o lavandário de Cunha

ASMR: O fenômeno do "orgasmo mental"

Publicidade