Harvard indica o jeito mais eficaz de fazer jejum intermitente

Pequena mudança nos horários do jejum pode surtir um efeito positivo na saúde

Por: Redação | Comunicar erro
um prato de comida na mesa ao lado de um relógio
Crédito: Rocky89/istockTeste feito com homens descobriu como tirar o melhor proveito do jejum intermitente

O jejum intermitente trabalha a ideia de deixar o corpo sem comida por um tempo para que, nesse período, ele use os estoques gordura antes da próxima refeição.

O método funciona porque carboidratos, particularmente açúcares e grãos refinados, são rapidamente transformados em açúcar, que usamos para ter energia. Se não utilizamos todo o estoque, armazenamos essa açúcar em nossas células adiposas como gordura.

De acordo com a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, de fato, as evidências confirmam a eficácia do jejum intermitente, que geralmente restringe as refeições a um período de 8 a 10 horas. Mas até então, os testes eram feitos com ratos.

Agora, a investigação foi além e realizou um experimento com um grupo de homens obesos com pré-diabetes, que foram divididos em dois grupos. O primeiro, era orientado a comer em um período de 8 horas, das 7h às 15h; e o outro deveria comer em um período de 12 horas, das 7h às 19h.

Ambos os grupos mantiveram seu peso (não ganharam ou perderam), mas após cinco semanas, o grupo de oito horas apresentou níveis de insulina dramaticamente mais baixos e melhorou significativamente a sensibilidade à insulina, bem como registraram uma pressão arterial significativamente menor. Além disso, esse grupo também apresentou diminuição significativa do apetite.

homem abrindo a geladeira à noite
Crédito: AndreyPopov/istockEstratégia de prolongar jejum noturno pode ser mais vantajosa

Em resumo, foi observado que pessoas que mudaram o horário das refeições, optando por comer no início do dia e prolongando o jejum noturno, beneficiaram significativamente o metabolismo mesmo quando elas não tiveram perda de peso.

A professora Monique Tello, da Universidade de Harvard, lembra – no entanto – que pessoas com diabetes avançado ou que estejam tomando medicamentos para diabetes, pessoas com histórico de transtornos alimentares como anorexia e bulimia e mulheres grávidas ou amamentando não devem tentar jejum intermitente, a menos que tenha a supervisão de um médico.

Compartilhe:

1 / 8
1
03:29
O que os pais podem fazer para ajudar seus filhos
Qual a responsabilidade que os pais têm em relação a ansiedade que seus filhos sofrem? A Dra. Ana Escobar, pediatra e …
2
01:33
Secreção vaginal: quais são os tipos e o que eles indicam
Ter secreção vaginal é normal? A Dra. Marianne Pinotti, ginecologista e obstetra, fala sobre quais os tipos de secreção vaginal e …
3
02:27
Escolhas que trazem longevidade
Se você pudesse escolher viver até os 100 anos, o que você faria? O Dr. João Paulo Nogueira, médico e fundador …
4
02:11
É importante tomar a vacina da hepatite?
O que é hepatite? e qual a importância em se vacinar contra esta doença? O Dr. Gonzalo Vecina, médico e fundador …
5
02:10
Como cuidar da saúde dos olhos
A saúde dos olhos depende de algum fator específico? A história de que comer cenoura faz bem para a visão, …
6
02:15
Os 3 níveis de estresse infantil
Quais são os níveis de estresses que uma criança pode ter? Como eles são classificados? A Dra. Ana Escobar, pediatra e …
7
06:25
O que você precisa saber sobre o HPV?
Quais os sinais que indicam o HPV? E como se prevenir deste vírus? A Dra. Marianne Pinotti, ginecologista e obstetra, fala …
8
03:04
O que fazer para ter uma boa velhice?
Quais hábitos podemos ter para chegarmos bem a terceira idade? O Dr. João Nogueira, médico e fundador do Horas da Vida, …