Inalação não é indicada em casos de suspeita de coronavírus

Além de pouco eficaz nos sintomas da covid-19, recurso pode espalhar vírus pelo ambiente e contaminar outras pessoas

Por: Redação

A inalação, muito eficiente no tratamento de problemas respiratórios crônicos e agudos, como bronquite e rinite alérgica, não é recomendada pelos médicos no caso de pessoas infectadas ou com suspeita do novo coronavírus. Embora esses pacientes também apresentem dificuldades respiratórias, o recurso pouco ajuda, além de representar um risco para outras pessoas que dividem o mesmo ambiente.

Acontece que ao fazer  inalação ou nebulização, a pessoa elimina mais partículas contaminadas com o vírus que dispersam pelo local.

“Em ambiente hospitalar, não se tem usado inalação e nebulização, justamente por segurança. É pouco efetiva comparada a outras possibilidades como bombinha, que não dispersa o vírus no ar ao redor”, explicou o médico pneumologista José Eduardo Afonso ao jornal Folha de S. Paulo.

O médico ainda explica que o a inalação é mais eficiente em casos de tosses com catarro, o que não é o caso da tosse seca apresentada por pacientes com a covid-19.