Jeito que você come pode aumentar seu risco de ter diabetes

A velocidade com que uma pessoa come pode afetar aspectos da digestão e do metabolismo dos alimentos, influenciando no risco de desenvolvimento da doença

Pesquisadores do King’s College, em Londres, advertem que o seu jeito de comer pode ser prejudicial à saúde e te colocar em risco maior de desenvolver diabetes.

De acordo com estudos, o problema está em comer rápido demais, o que pode comprometer a digestão e causar o problema de saúde.

Jeito de comer pode aumentar o risco de diabetes
Créditos: lofilolo/DepositPhotos
Jeito de comer pode aumentar o risco de diabetes

Qual a explicação?

Acontece que a mente leva entre cinco e até 20 minutos para compreender o que acontece no estômago.

Dessa forma, comer devagar e mastigar bem os alimentos potencializa a resposta dos hormônios que regulam o apetite, como leptina, adiponectina e grelina, ajudando a manter um peso saudável.

Além disso, também estimula a liberação de insulina, o que significa um melhor controle da glicose e, consequentemente, menor risco de diabetes.

Já comer rápido faz com que a pessoa ingira mais do que o necessário, levando ao acúmulo de gordura visceral.

A gordura visceral refere-se à gordura armazenada no interior da cavidade abdominal. Ela envolve os órgãos internos como o fígado, o estômago, os rins e os intestinos. 

Essa gordura é perigosa para a saúde, pois pode aumentar o risco de várias condições de saúde, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e certos tipos de câncer.

Comer rápido e síndrome metabólica

Um estudo de 2017 elaborado por um cardiologista da Universidade de Hiroshima, no Japão, constatou que aqueles que comem rápido têm quase o dobro de chances de desenvolver síndrome metabólica.

A síndrome metabólica é um termo usado para descrever um conjunto de problemas de saúde, como diabetes, pressão alta, obesidade e gordura no fígado.

O que leva uma pessoa a ter diabetes?

Diversos fatores podem contribuir para o desenvolvimento do diabetes.

Primeiramente, a genética desempenha um papel importante, pois histórico familiar de diabetes aumenta significativamente o risco de uma pessoa desenvolver a condição.

Além disso, o estilo de vida desempenha um papel importante. Uma dieta rica em açúcares simples e gorduras saturadas, juntamente com a falta de atividade física, pode levar ao ganho de peso e à obesidade, fatores de risco conhecidos para o diabetes tipo 2.

A obesidade abdominal, em particular, está fortemente associada ao desenvolvimento de resistência à insulina e ao diabetes tipo 2.

Além disso, o envelhecimento é outro fator de risco significativo, com a maioria dos casos de diabetes ocorrendo em pessoas com mais de 45 anos.

Outros fatores de risco incluem história de pré-diabetes, síndrome do ovário policístico, hipertensão arterial, colesterol alto e histórico de diabetes gestacional.