Famosas se unem para apoiar mulheres que acusam João de Deus

Oprah Winfrey e Xuxa Meneghel também ficaram sensibilizadas com o caso

Por: Redação

Desde a última sexta-feira, 7, quando o programa “Conversa com Bial” exibiu denúncias contra João de Deus, mais de 200 casos de abusos cometidos pelo médium foram registrados no Ministério Público.

Antes do escândalo, porém, muitos artistas e personalidades públicas, brasileiras e internacionais, procuram aconselhamento e cura na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO). No local, ele recebia até cinco mil pessoas por semana para atendimentos e cirurgias espirituais.

Agora, assim como Oprah Winfrey e Xuxa Meneghel, famosas procuram dar apoio às mulheres que fizeram as denúncias. Alice Wegmann, Bruna Linzmeyer, Fernanda Lima, Maria Ribeiro, Maria Casadevall, Marina Moschen e Zezé Polessa são algumas dessas personalidades.

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower ? Daniel Marenco

A post shared by Alice Wegmann (@alice.weg) on

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #NinguemSoltaAMãoDeNinguem #MexeuComUmaMexeuComTodas #XotaPower ? Daniel Marenco

A post shared by bruna linzmeyer (@brunalinzmeyer) on

View this post on Instagram

Um homem que se auto proclama “de Deus” é acusado de abuso sexual por mais de duzentas mulheres. O atual/futuro/deprimente presidente do Brasil foi eleito mesmo tendo em sua biografia o fato de ter dito à uma parlamentar que ela não “merecia” ser estuprada. O governador do Rio de Janeiro foi escolhido pela maioria do estado apesar de estar em uma foto comemorando a quebra de uma placa que homenageava Marielle Franco, vereadora brutalmente executada em março desse ano. Mais do que nunca, ninguém solta a mão de ninguém. Precisamos ser muitas – e fortes – pra apoiar cada mulher vítima do machismo, da violência, do patriarcado. E precisamos ser grandes, pra – quando possível – explicar pros caras que o mundo mudou. Que a gente merece respeito. Que filho não é dever – apesar do imenso prazer – somente “de mãe”. Que nenhum homem é maior ou mais importante que nenhuma mulher – não interessa o cargo, a grana, a relação de poder. Minha solidariedade imensa às minas que tiveram coragem de contar suas historias essa semana. Vocês não estão sozinhas. #mexeucomumamexeucomtodas

A post shared by Maria Ribeiro (@mariaaribeiro) on

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower ? Daniel Marenco

A post shared by Maria Casadevall (@mariacasadevall) on

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower ? Daniel Marenco

A post shared by Marina Moschen (@marinamoschen) on

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower ? Daniel Marenco

A post shared by @ zezepolessa on

Na quarta-feira, 12, o MP de Goiás pediu a prisão preventiva de João de Deus.

Compartilhe:

1
Bolsonaro deixa o PSL para fundar um novo partido político
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira, 12, que vai deixar o Partido Social Liberal (PSL) após quase dois anos …
2
Entenda a crise política na Bolívia em 8 minutos
Após 13 anos no poder, o presidente boliviano Evo Morales renunciou ao cargo no último domingo, 10, em meio a …
3
DPVAT e INSS: os impactos das medidas de Bolsonaro para a população
O presidente Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias (MPs) que prometem mudar a vida dos brasileiros. O anúncio foi feito …
4
O retrato da violência doméstica no Brasil
Cerca de 13 mulheres são assassinadas todos os dias no Brasil.  Em uma conta rápida, isso significa 4.750 mortes por …
5
O ambicioso plano de Paulo Guedes para a economia do Brasil
“Transformar o Estado Brasileiro” é o que pretende o ministro da Economia, Paulo Guedes, com o pacote de ações que …
6
O que acontecerá com Lula e outros presos após a decisão do STF?
Por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu mudar o entendimento sobre a prisão de condenados em …
7
03:52
No Brasil, 13,5 milhões de pessoas vivem na pobreza extrema
Dados da última edição da Síntese de Indicadores Sociais do IBGE, que analisa a qualidade de vida da população, mostra …
8
03:58
Por que o câncer do prefeito de SP está cada vez mais comum ?
Diagnosticado com um tumor no sistema digestivo, aos 39 anos, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresenta um …