Ivete homenageia Aldir Blanc e Moraes Moreira e fãs apontam indireta para Regina Duarte

"A gente não precisa entender e assistir o negativo, obscuro", disse a cantora

Por: Redação

A live especial de Dia das Mães de Ivete Sangalo, realizada no último domingo, 10, rendeu comentários dos internautas nas redes sociais. Isso porque a cantora teria, segundo os fãs, soltado uma indireta sobre a polêmica entrevista de Regina Duarte à CNN Brasil, na última semana.

ivete sangalo regina duarte
Crédito: Reprodução/Youtube e CNN BrasilMensagem de Ivete Sangalo rendeu comentários sobre polêmica de Regina Duarte

Embora tenha ignorado o questionamento que Xuxa fez durante o apresentação pela internet, sobre o que ela achava do episódio envolvendo a secretária de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Ivete prestou uma homenagem a Aldir Blanc, compositor que morreu de covid-19, e que teve sua morte ignorada por Regina. Segundo a política, ele não foi homenageado porque ela não o conhecia pessoalmente.

“Nós não precisamos de uma mensagem que não nos inspira. A gente não precisa entender e assistir o negativo, obscuro. A gente tem, sim, que assistir e propagar pessoas que nos inspiram. Estou falando de Aldir Blanc, que fez essa canção ‘Resposta ao Tempo’, gravada por Nana Caymmi. Isso sim alimenta a nossa cultura, a nossa estrutura emocional, nossa força”, declarou.

Em seguida, Sangalo fez reverência a Moraes Moreira, que também faleceu recentemente, porém, não por complicações de covid-19, mas que também não recebeu nenhuma mensagem de gratidão de Regina: “Outro maravilhoso. Um artista incrível que tive a oportunidade de conhecer e conviver com ele, um doce, maluco beleza, um novo baiano. E tive o prazer de presenciar ele tocando, cantando. Estou falando de Moraes Moreira, que fez tão lindas canções e traduziu o nosso carnaval da Bahia. A gente reitera a sua força para nossa cultura”, definiu.

Por fim, a cantora relembrou a mãe, Maria, morta em agosto de 2001, o pai, Alsus, morto ainda na infância dela, e o irmão, Jesus, que morreu vítima de uma infecção generalizada, em novembro de 2019.

“Quero dizer um adendo que estou sentindo muita falta da minha mãe, do meu pai e do meu irmão, que eu perdi e de tantas pessoas queridas que já se foram… E essas pessoas vivem dentro da gente através das nossas memórias afetivas que temos com elas. E as pessoas que se vão são muito importantes na vida da gente”, completou.

Regina Duarte foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter no dia 7 de maio, ao relativizar, para não dizer que ignorou, o período da Ditadura Militar no Brasil, e ainda por cima surtou ao ouvir um depoimento de Maitê Proença a cobrando um posicionamento do seu cargo como secretária de Cultura para a classe artística.

“Cara, desculpa, eu vou te falar uma coisa assim: a humanidade não para de morrer. Se você falar ‘vida’ do outro lado tem ‘morte’. Por que as pessoas ficam ‘oh! oh! oh!’… Por quê?”, perguntou ela, deixando o repórter Daniel visivelmente incomodado com tal questionamento, que se viu obrigado a responder o óbvio: “Porque houve tortura, secretária, houve censura à cultura…”, disse ele sendo interrompido por ela: “Mas sempre houve tortura, (Joseph) Stalin, quantas mortes? (Adolf) Hitler, quantas mortes? Não quero arrastar um cemitério nas minhas costas”, afirmou ela na ocasião.