Coronavírus: SP proíbe funcionamento do comércio a partir de sexta

Decreto entra em vigor a partir desta sexta-feira, 20, e vai até o dia 5 de abril

Por: Redação

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, decretou nesta quarta-feira, 18, o fechamento do comércio na capital até o dia 5 de abril. A medida para tentar conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) entra em vigor a partir de sexta-feira, 20.

O fechamento vale apenas para as lojas com atendimentos presenciais. Os estabelecimentos que possuírem a alternativa de venda online poderão continuar as vendas apenas online ou por telefone.

bruno covas
Crédito: Rovena Rosa/Agência BrasilO prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anuncia a nova modalidade do programa Corujão da Saúde, durante entrevista à imprensa

Permanecerão abertos apenas farmácias, supermercados, feiras livres, lojas de conveniências, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de venda de alimentação de animais e postos de combustível.

De acordo com o prefeito, para continuar funcionando, os bares e restaurantes terão que obedecer a distância mínima de um metro entre as mesas, além de intensificarem as ações de limpeza e disponibilizarem álcool em gel aos clientes e informações sobre a Covid-19 nos estabelecimentos.



A prefeitura também ordenou a suspensão temporária das autorizações dos camelôs para trabalharem na cidade. Com isto, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) tem autorização para remover os trabalhadores ambulantes que desobedecerem a determinação.

A medida anunciada hoje complementa o decreto de emergência anunciando ontem. Além de determinar o fechamento de lojas, a decisão do prefeito ainda estabelece medidas de prevenção e higiene mais rígidas aos estabelecimentos que são permitidos o funcionamento.

Doria

Mais cedo, o governador João Doria (PSDB) recomendou o fechamento de shoppings e academias na região metropolitana de São Paulo, de 23 de março até 30 de abril, por razões sanitárias e proteção dos funcionários.

A decisão está entre as sete medidas que o governo anunciou, durante coletiva de imprensa, para reduzir a disseminação do Covid-19, mas não inclui estabelecimentos do interior do estado. Doria também determinou que os postos do Detran e Poupatempo vão regular a circulação.

“O governo de são Paulo vai solicitar mais recursos para o Ministério da Saúde. O epicentro do coronavírus é o estado. Vamos fazer oportunamente”, afirmou o governador.

Compartilhe: