CORONAVÍRUS
Loading...
Últimas notícias e tudo que você precisa saberAtualizando informações
Infectados-
Mortes-
Recuperados-

Veja como ajudar as favelas do país no combate ao coronavírus

Diante da pandemia, famílias que já viviam em situação de extrema vulnerabilidade se viram diante de um cenário ainda pior; conheça campanhas

Por: Heloisa Aun

“Lave as mãos”, “use álcool em gel”, “trabalhe de casa” e “saia apenas para o essencial” são frases que não representam a realidade de grande parte da população. Com a pandemia do novo coronavírus, os impactos mais profundos acabam recaindo sobre determinadas regiões e grupos sociais, como bairros periféricos e favelas do Brasil.

Famílias que já viviam em situação de extrema vulnerabilidade se viram diante de um cenário ainda pior, principalmente aos trabalhadores informais ou àqueles que foram demitidos em meio à crise. A pesquisa “Coronavírus – Mães da Favela”, realizada pelo Data Favela e o Instituto Locomotiva, mostrou que nove em cada dez mães moradoras de comunidades terá dificuldade para comprar comida após apenas um mês sem renda. O levantamento foi feito em 260 favelas, em todos os estados do país.

Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro
Crédito: © Agência Brasil/Tomaz SilvaComplexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro

Embora sejam imprescindíveis ações do governo para reverter esse problema, a sociedade civil também deve se unir e apoiar quem mais precisa neste momento. Desde o início, organizações e líderes comunitários começaram a se articular para fazer campanhas e arrecadar doações de itens essenciais, como alimentos e produtos de higiene e limpeza.

Em uma força-tarefa, a Catraca Livre está contanto as histórias dessas iniciativas e mobilizando doações a instituições que atuam no país. Abaixo, há uma lista com campanhas para você colaborar e compartilhar.

Confira:

Rio Contra Corona (RJ)

A campanha Rio Contra Corona busca mobilizar o governo, empresas e a sociedade civil para conseguir doações que cheguem nas comunidades do Rio de Janeiro. O dinheiro será usado para comprar itens básicos de prevenção contra a doença e também para outras demandas surgirão.

A iniciativa é uma ação gerida por três organizações com credibilidade no Rio de Janeiro, Banco da Providência, Instituto Ekloos e Instituto Phi, e surgiu das articulações do movimento União Rio, que está com diversas frentes para minimizar os impactos do vírus. Para doar, é preciso acessar esta plataforma.

Adote uma diarista (SP)

O projeto Emprega Comunidades, criado em Paraisópolis, favela na zona sul de São Paulo com mais de 100 mil moradores, lançou a campanha “Adote Uma Diarista” para apoiar os profissionais liberais de baixa renda, que foram os mais afetados pela crise econômica em meio à pandemia do novo coronavírus.

O objetivo da ação é arrecadar recursos para garantir o suporte ao sustento desses trabalhadores e suas famílias. Conhecido como o “LinkedIn da favela”, o Emprega Comunidades nasceu com o intuito de reduzir a distância entre empresas e os candidatos, moradores das favelas, às vagas. Confira neste link.

ONG Novos Herdeiros Humanísticos (SP)

A ONG Novos Herdeiros Humanísticos, na região da Cursino e próxima à Vila Brasilina, zona sul de São Paulo, está coletando doações e distribuindo alimentos no bairro.

Segundo Marcelo Dias, que coordena a ONG, na última semana tem aumentado o número de pessoas pedindo cesta básica, inclusive em frente à instituição. Pelo cancelamento das aulas e dos projetos sociais que acontecem na região, muitas crianças dependiam das refeições desses locais.

Para ajudar o projeto, é possível doar por meio deste link ou da conta da ONG Novos Herdeiros Humanísticos:

Banco Bradesco
Agencia 0670- 0
Conta Corrente:  03240-9
CNPJ 05.809.335.0001/79

TETO Brasil

A organização TETO Brasil, que promove o direito à moradia para pessoas em situação de vulnerabilidade social, lançou uma campanha para comprar alimento, água e itens de higiene a moradores das favelas em que atuam pelo país.

“Se você, como nós, não se conforma com essa realidade. Colabore. Com o montante arrecado vamos comprar cestas básicas, galões de água e preparar um kit de higiene, com água sanitária e detergente para distribuir, com a ajuda de outras organizações e de lideranças comunitárias, para cerca de 1000 famílias que vivem nas comunidades que já trabalhamos e que seguimos acompanhando”, diz o texto de doações.

Colabore com a ONG aqui.

Matchfunding Enfrente (Todo Brasil)

A Fundação Tide Setubal remodelou seu Matchfunding Enfrente com o objetivo de destinar recursos a projetos que promovam o enfrentamento da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, nas periferias de todo o Brasil. A plataforma de financiamento coletivo, em parceria com a Benfeitoria, investirá R$ 3,6 milhões para que as iniciativas pensem em soluções para essas regiões, que são mais vulnerárias à crise da pandemia.

A plataforma tem duas formas de doação. Uma diretamente aos projetos inscritos, onde acontece o match, ou seja, para cada real doado, a plataforma coloca mais R$ 2. Isso significa que cada iniciativa periférica que conseguir alcançar sua meta de R$ 10 mil pela mobilização de seus próprios parceiros e sociedade, leva mais R$ 20 mil de match, totalizando R$ 30 mil. A outra maneira de doar é para o fundo geral, que somará mais recursos para que os apoios às propostas sejam contínuos. Saiba mais aqui.



Pró-Saber (SP)

O Pró-Saber SP atua, desde 2003, na comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. A organização trabalha diariamente para promover a leitura e levar brincadeiras às crianças da região.

Durante a quarentena, a entidade decidiu reunir doações para entregar cestas com itens básicos a famílias da favela, além de levar kits de ler e brincar para os meninos e meninas. Você pode colaborar com a iniciativa por meio deste link.

#UmaMãoLavaAOutra (RJ)

A ONG Saúde Criança, que há 28 anos trabalha pela saúde e desenvolvimento humano e no combate à pobreza, lançou a campanha #UmaMãoLavaAOutra, com o objetivo de arrecadar fundos para que 250 famílias vulneráveis do Rio de Janeiro tenham acesso ao mínimo de sobrevivência durante a crise do novo coronavírus.

Com a doação de pessoas físicas, a organização vai garantir itens básicos de alimentação, de higiene pessoal, de medicamentos e de outras necessidades para famílias inteiras, que também vão movimentar a economia de local, sem colocar suas vidas em risco. Leia na íntegra e veja como fazer sua doação.

Heliópolis contra o coronavírus (SP)

O movimento #FamíliaApoiaFamília é uma plataforma aberta que convoca os brasileiros a doarem e se cuidarem neste momento. O grupo conecta diretamente as ONGS que precisam de apoio para viabilizar cestas básicas para famílias desamparadas e doadores que possam ajudar.

Em Heliópolis, na zona sul de São Paulo, a UNAS é a entidade parceira do movimento. Na vaquinha online, a organização arrecada dinheiro para ajudar mais de 500 famílias da favela com alimentação e itens de higiene. A distribuição será realizada em três pontos estratégicos na região, para evitar a aglomeração de pessoas.

Pandemia com Empatia (RJ)

A ONG Voz das Comunidades criou a campanha “Pandemia com Empatia”, que pretende arrecadar materiais para que famílias mais vulneráveis possam se cuidar mantendo a higiene. As informações são de Melissa Cannabrava, do jornal Voz das Comunidades.

O pedido é que as doações sejam feitas através de transferências, priorizando depósito bancário e pic pay, para evitar que mais pessoas se ponham em risco nas ruas. Todo o valor arrecadado será destinado para a compra de água, álcool em gel e sabonete. A necessidade é urgente, pois em algumas favelas o abastecimento de água não é feito com frequência, fazendo com que algumas casas fiquem até 15 dias de torneiras secas.

Doações a moradores do Capão Redondo (SP)

Ficar em casa e seguir as medidas recomendadas pelos órgãos de saúde mundiais são atitudes essenciais para diminuir o avanço do novo coronavírus. Mas e quem não tem condições de parar de trabalhar e sequer de ter água para beber, quanto mais para lavar as mãos? Pensando em uma forma de ajudar, um grupo de amigas se juntou em um verdadeiro mutirão para reunir doações a moradores do Capão Redondo, na periferia de São Paulo.

O mutirão de arrecadações funciona em duas frentes: por meio de uma vaquinha virtual e também pela doação de alimentos e itens de higiene e limpeza. Confira matéria na íntegra.

#XôCorona (SP)

A campanha #XôCorona foi criada para arrecadar dinheiro com o intuito de comprar produtos de limpeza e higiene, como sabonete líquido e cloro, que serão distribuídos às comunidades de São Paulo pela Central Única das Favelas (Cufa). A iniciativa é uma parceria da empresa Lello Condomínios com a Cufa, em apoio à ação #FavelaContraOVírus, idealizada para o combate aos impactos da covid-19.

O primeiro carregamento de 4 mil litros de produtos como sabão líquido e água sanitária, comprados pela Lello, já foi entregue a Heliópolis, na zona sul da cidade. Agora, a campanha busca doações por meio de um crowdfunding no site Benfeitoria, no qual qualquer pessoa pode doar a partir de R$ 10 e financiar esses itens a comunidades. Veja mais informações.

#FavelaContraOVírus (Todo Brasil)

A Central Única das Favelas (Cufa) também organizou a campanha #FavelaContraOVírus e uma vaquinha virtual com o objetivo de diminuir o impacto da covid-19 em áreas periféricas de todo o país. A ação recebeu apoio de muitos artistas, como Camila Pitanga, Fernanda Paes Leme e Sabrina Sato.

Até a publicação desta reportagem, a iniciativa já havia ultrapassado R$ 300 mil arrecadados. O dinheiro será usado para muitas frentes, como distribuição de cestas básicas aos moradores. Para fazer sua doação, clique aqui ou faça depósito bancário nas contas abaixo:

Central Única Das Favelas do Rio de Janeiro
CNPJ: 06.052.228/0001-01
– Bradesco – 237 | Ag: 0087; CC: 3582-3
– Itaú – 341 | Ag: 0402; CC: 17369-4

Testes rápidos de coronavírus (RJ)

Agora, é possível fazer doações de testes rápidos da covid-19 para instituições que atuam nas favelas do Rio de Janeiro. Para ajudar, não é preciso desembolsar nenhum real. A ideia surgiu a partir da parceria entre o projeto recém-criado Favela Sem Corona e a Ribon, uma plataforma onde usuários podem doar até mesmo de graça. O primeiro lote com 100 testes adquiridos a partir da ação chegará no dia 6 de abril, de acordo com a previsão.

Para fazer a doação, é necessário baixar o aplicativo da Ribon. Dentro dele, o processo é bem simples: todo dia a plataforma envia uma boa notícia sobre algo relevante que está acontecendo no mundo. Essas notícias vêm sempre acompanhadas de 100 ribons (moeda usada no aplicativo) para serem coletadas gratuitamente e doadas depois. Entenda o projeto.

Redes da Maré (RJ)

A ONG Redes da Maré está reunindo doações de alimentos, itens de higiene e limpeza e água mineral para moradores do Complexo da Maré, conjunto de favelas com cerca de 140 mil habitantes no Rio de Janeiro. Além dos produtos, a organização arrecada dinheiro, que pode ser transferido para contas oficiais do projeto. Saiba como contribuir. 

Marmitas em Paraisópolis (SP)

O novo coronavírus impactou a vida de todos, mas, nas favelas, o cenário se tornou ainda mais complicado. Pensando nisso, a Associação de Mulheres de Paraisópolis, comunidade na zona sul de São Paulo, lançou uma campanha para arrecadar doações e produzir marmitas, que serão distribuídas para as famílias mais vulneráveis da região durante a quarentena.

Na descrição da vaquinha virtual, o grupo ressalta que a ação será realizada em parceria com mulheres empreendedoras do coletivo Bistrô de Mãos de Maria. “Sua contribuição também garantirá a segurança financeira de nossas mulheres – muitas delas já sem emprego, outras com seus negócios fechados”, ressalta o texto, citando o fato de muitas pessoas terem ficado sem renda neste período. Para saber mais, clique aqui.

eSolidar apoia Heliópolis, Paraisópolis e Rocinha (SP e RJ)

A eSolidar, plataforma de impacto social que oferece às instituições ferramentas fáceis para atrair recursos e aumentar a visibilidade, se juntou ao G10 Favelas e ao Canal Transformadores para ajudar diversas favelas brasileiras. A startup portuguesa abriu vaquinhas online para captar recursos para comunidades como Heliópolis e Paraisópolis, as duas maiores de São Paulo, e Rocinha, no Rio de Janeiro.

Não espalhe o vírus, #EspalheSolidariedade

A ONG Habitat Brasil lançou uma iniciativa com o objetivo de apoiar 1.000 famílias de 20 comunidades espalhadas por 8 estados do país, num esforço nacional de mobilização para garantir que haja comida e possibilidade de higiene em suas casas.

A campanha “Não espalhe o vírus, #EspalheSolidariedade” é um financiamento coletivo em que qualquer pessoa pode contribuir para levar itens de limpeza e de higiene, cesta básica e água potável para ajudar essas famílias. Para apoiar, é só acessar o link e doar qualquer valor.

As comunidades atendidas com a campanha estão em São Paulo (SP), Recife (PE), Riacho das Almas (PE), Rio de Janeiro (RJ), Santos Dumont (MG), Curitiba (PR), Candeias (BA), Fortaleza (CE) e Goiânia (GO).

Apoio para famílias negras e periféricas (SP e RJ)

Movimentos sociais lançaram uma campanha de apoio imediato a famílias negras e periféricas de São Paulo e Rio de Janeiro. Até o momento, já foram arrecadados mais de R$ 216 mil, de uma meta total de R$ 270 mil. Entre as organizações à frente da campanha, está a Uneafro Brasil. Doe por meio deste link.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Por: Heloisa Aun

Repórter de Cidadania na Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)