Ansiedade e estresse mais que dobram no Brasil durante a pandemia

De acordo com pesquisa, mulheres estão mais propensas a sentir o baque do atual momento na saúde mental

Por: Redação

Um estudo da Universidade do Estado do Rio (Uerj), publicado online pela revista científica The Lancet, apontou algo já esperado: a saúde mental tem sofrido grandes impactos durante a pandemia do novo coronavírus. As incertezas sobre o futuro, o medo de se infectar, de perder um parente ou o emprego, entre outros pensamentos, fizeram mais que dobrar os casos de ansiedade e estresse no Brasil.

Já os casos de depressão aumentaram 90% no intervalo de pouco menos de um mês. A pesquisa entrevistou 1.460 pessoas em 23 estados brasileiros em dois períodos: entre 20 e 25 de março e entre 15 e 20 de abril.

ansiedade e estresse pandemia
Crédito: Gemphotography/istockAnsiedade e estresse disparam na pandemia


Depressão, ansiedade e estresse: as mulheres sofrem mais

De acordo com os dados analisados, as mulheres são mais propensas do que os homens a sofrer com estresse e ansiedade durante a quarentena. Além disso, outros fatores de risco são: alimentação desregrada, doenças preexistentes, ausência de acompanhamento psicológico, sedentarismo e a necessidade de sair de casa para trabalhar.

Já para depressão, as principais causas são idade mais avançada, ausência de crianças em casa, baixo nível de escolaridade e a presença de idosos no ambiente doméstico.

De acordo com o professor Alberto Filgueiras, que coordenou o estudo, os resultados sugerem um agravamento preocupante. “A prevalência de pessoas com estresse agudo na primeira coleta de dados foi de 6,9% contra 9,7%, na segunda. Para depressão, os números saltaram de 4,2% para 8,0%. Por último, no caso de crise aguda de ansiedade, vimos sair de 8,7% na primeira coleta para 14,9%, na segunda coleta”, destaca.

Filgueiras faz um alerta para que o isolamento social não tenha uma carga tão pesada. “Esse período da quarentena não é o momento de mudar seus hábitos radicalmente. Isso pode gerar ainda mais angústia. Respeite seu estilo de vida e seus limites”, orienta.

Outra boa iniciativa nesses tempos de isolamento social é buscar ajuda e se cuidar. A pesquisa observou que quem recorreu à psicoterapia pela internet apresentou índices menores de estresse e ansiedade. Da mesma forma, aqueles que puderam praticar exercício aeróbico tiveram melhor desempenho do que os que não fizeram nenhuma atividade física, ou que praticaram apenas atividade de força.

Ajuda online

Na Catraca Livre, já indicamos aqui e aqui serviços de apoio emocional e psicológico gratuitos, além de plataformas e canais no Youtube que dão aulas de atividades físicas online. Use e abuse dessas dicas e repasse aos amigos!