CORONAVÍRUS
Tudo o que você precisa saberÚltimas notícias e tudo que você precisa saber
EM ALTA

Governo divulga novo protocolo do uso de cloroquina; veja o que muda

No SUS, droga passa a ser ofertada para pacientes com casos leves de covid-19

Por: Redação

O Ministério da Saúde divulgou na manhã desta quarta-feira, 20, o novo protocolo do uso de cloroquina em pacientes diagnosticados com o novo coronavírus. A partir de agora, o SUS poderá administrar o medicamento mesmo em pessoas com sintomas leves. Antes, a indicação era só para casos graves.

O uso da droga fica sob a responsabilidade do médico, com a concordância do paciente, que precisará assinar um termo de autorização. O documento do Ministério da Saúde, que não traz a assinatura de nenhum responsável médico, deixa claro, no entanto, que não há comprovação científica do benefício da cloroquina.

comprimido de cloroquina
Crédito: Brasil2/istockNovo protocolo libera cloroquina em casos leves, mas paciente precisa concordar

O documento ainda diz que a droga “deve ser usada com precaução em portadores de doenças cardíacas, hepáticas ou renais, hematoporfiria e doenças mentais”. Isso porque os efeitos colaterais da cloroquina são perigosos, especialmente para quem tem problemas no coração.

Em alguns países, houve casos de morte após o uso da droga.  No Brasil, por exemplo, um estudo  precisou ser interrompido após pacientes tratados com cloroquina virem a óbito.

Entidade médicas não recomendam

No momento em que o Ministério da Saúde amplia a autorização para o uso de cloroquina, sociedades médicas ligadas às áreas de tratamento da covid-19 assinam um documento conjunto não recomendando o uso de cloroquina, hidroxicloroquina e outros medicamentos como rotina no tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

O documento traz as assinaturas de 27 especialistas da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

A justificativa é a ausência de resultados satisfatórios desses medicamentos no tratamento da covid-19. O documento é respaldado por 79 estudos e pesquisas nacionais e internacionais sobre o tema.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


Veja abaixo os pontos trazidos no novo protocolo do Ministério da Saúde sobre a utilização da cloroquina:

1. Apesar de serem medicações utilizadas em diversos protocolos e de possuírem atividade in vitro demonstrada contra o coronavírus, ainda não há meta-análises de ensaios clínicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o beneficio inequívoco dessas medicações para o tratamento da Covid-19. Assim, fica a critério do médico a prescrição, sendo necessária também a vontade declarada do paciente.

2. O uso das medicações está condicionado à avaliação médica, com realização de anamnese, exame físico e exames complementares, em Unidade de Saúde.

3. Os critérios clínicos para início do tratamento em qualquer fase da doença não excluem a necessidade de confirmação laboratorial e radiológica.

4. Contra-indicações absolutas ao uso da hidroxicloroquina: gravidez, retinopatia/maculopatia secundária ao uso do fármaco já diagnosticada, hipersensibilidade ao fármaco, miastenia grave.

5. Não há necessidade de ajuste da dose de hidroxicloroquina para insuficiência renal (somente se a taxa de filtração glomerular for menor que 15) ou insuficiência hepática. O risco de retinopatia é menor com o uso da hidroxicloroquina.

6. Não coadministrar hidroxicloroquina com amiodarona e flecainida.

7. Há interação moderada da hidroxicloroquina com: digoxina (monitorar), ivabradina e propafenona, etexilato de dabigatrana (reduzir dose de 220 mg para 110 mg), edoxabana (reduzir dose de 60 mg para 30 mg). Há interação leve com verapamil (diminuir dose) e ranolazina.

8. Em crianças, dar sempre prioridade ao uso de hidroxicloroquina pelo risco de toxicidade da cloroquina.

9. Cloroquina deve ser usada com precaução em portadores de doenças cardíacas, hepáticas ou renais, hematoporfiria e doenças mentais.

10. Cloroquina deve ser evitada em associação com: clorpromazina, clindamicina, estreptomicina, gentamicina, heparina, indometacina, tiroxina, isoniazida e digitálicos.

11. Para pacientes adultos hospitalizados e com sinais de gravidade considerar anticoagulação e pulso de corticóide.
12. Para pacientes adultos com sinais e sintomas moderados, considerar anticoagulação profilática se a oximetria estiver abaixo de 95% ou na presença de qualquer sinal respiratório (tosse, dispnéia etc.) na ausência de oximetria.

13. Para pacientes hospitalizados, observar e iniciar tratamento precoce para pneumonia nosocomial, conforme protocolo da Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH) local.

14. Nos pacientes com deficiência ou presunção de deficiência de vitamina D, considerar a prescrição

15. Investigar e tratar anemia.

16. Zinco – Para pacientes adultos, considerar a administração de sulfato de zinco
concomitante ao tratamento com cloroquina/hidroxicloroquina + azitromicina
17. Monitorar o uso de anti-coagulantes.
18. Realizar monitoramento eletrocardiográfico
19. Exames laboratoriais de relevância na COVID-19:
• hemograma completo, TP e TTPA;
• PCR (de preferência ultra sensível);
• TGO, TGP, GGT, creatinina e uréia;
• Glicemia;
• ferritina, D-dímero, DHL;
• troponina / CK MB;
• vitamina D;
• Na/K/Ca/Mg;
• RT-PCR SARS-Cov-2;
• sorologia ELISA IGM IGG para SARS-Cov-2;
• teste molecular rápido para coronavírus.
20. Exames de imagem de relevância na COVID-19:
• ECG;
• TC TÓRAX

1
Atividades divertidas para entreter as crianças durante a pandemia de coronavírus
O isolamento social imposto pelo do novo coronavírus é um desafio para nós e para as crianças também. Com as …
2
Coronavírus: conheça novos sintomas que podem indicar que você está com covid-19
Se você acompanha o noticiário sobre o novo coronavírus com certeza já deve ter ouvido falar sobre os principais sintomas …
3
Depressão: tudo o que precisamos saber sobre a doença
Não se trata de frescura e nem de preguiça. Depressão é uma doença grave e incapacitante que atinge mais de …
4
Cloroquina vs coronavírus: o que a ciência diz sobre o uso do medicamento
Da noite pro dia a cloroquina que é usada principalmente no tratamento contra a malária e algumas doenças reumatológicas, se …
5
Barato: yoga online para você praticar em casa na quarentena
O que você tem feito para aliviar a pressão da quarentena? Você tem colocado o seu corpo em movimento?  Se …
6
4 dicas essenciais para você fazer home office na quarentena
Teve que transformar a sua casa em um ambiente de trabalho por conta da quarentena causada pelo coronavírus? Então, este …
7
Coronavírus: entenda o colapso do sistema de saúde e funerário do Equador
Quanto mais avança a contaminação pelo mundo, mais cenas trágicas e impactantes a pandemia de coronavírus acaba criando. Como é …
8
O que a ciência e o Ministério da Saúde pensam sobre o coronavírus
Este Giro Catraca Livre vai ser um pouquinho diferente. Ao invés da gente mergulhar num tema e tentar traduzir ele …