Resorts e parques aquáticos adotam protocolos de saúde para reabertura

Entre as mudanças estão o check-in online, uso obrigatório de máscaras e a utilização das pulseiras de aproximação

Por: Redação

Os protocolos de segurança e de saúde têm sido o norte para reabertura gradual dos principais segmentos turísticos no Brasil no pós-coronavírus, como resorts e parques aquáticos.

Diante desse “novo normal”, dois resorts –localizados na Costa do Sauípe (BA) e em Rio Quente (GO)– e o parque aquático Hot Park vão adotar novos procedimentos para protegerem as famílias e visitantes com base em orientações dos órgãos de saúde pública.

Crédito: DivulgaçãoParque aquático Hot Park adotará medidas de segurança em seu retorno

Entre as mudanças propostas, estão a realização do check-in de forma online e o uso obrigatório de máscaras em todos os ambientes sociais dos empreendimentos. As informações são do MTur.

Para Flávio Monteiro, diretor de operações da Aviva, empresa que administra os locais, a medida é uma forma de iniciar o processo de retorno das atividades. “Ainda não é possível informar uma data oficial para a reabertura de nossos destinos, mas estamos com todos nossos protocolos prontos para receber o público”, conta.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


A tecnologia será uma importante aliada neste processo. Adotada desde 2019, as pulseiras de aproximação passarão a substituir os cartões de acesso aos quartos, garantindo uma experiência mais segura para os turistas.

Segundo os empreendimentos, os apartamentos também passarão por um rígido processo de segurança e higienização, além disso, cada hóspede receberá um kit de álcool em gel e álcool 70%.

Crédito: DivulgaçãoUm dos hotéis do complexo da Costa do Sauípe, no litoral norte da Bahia

As piscinas, restaurantes e demais áreas de lazer terão procedimentos próprios para evitar aglomerações e garantir segurança sanitária. Os restaurantes, por exemplo, passarão a ofertar espaços especiais para as famílias garantindo o contato mínimo entre os hóspedes e assegurando a proteção aos funcionários. Ao invés de self-service, os pratos serão disponibilizados em serviços à la carte.