Testes para coronavírus: entenda a diferença entre eles e os falsos negativos

Entenda como funcionam e as vantagens e desvantagens dos exames para covid-19 disponíveis no Brasil

Por: Redação

Ainda há muitas dúvidas com relação a confiabilidade dos testes para o novo coronavírus. Depois de relutar muito, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apresentou nesta semana o resultado de seus testes, que deram negativo. Todos os três apresentados por ele eram do tipo RT-PCR, o método considerado mais eficaz para detecção da covid-19, já que rastreia o material genético do coronavírus. Porém alguns pontos precisam ser esclarecidos sobre esse exame.

Diferentemente do teste rápido, que é indicado após o décimo dia de sintomas, o RT-PCR pode ser feito a partir dos primeiros dias dos sinais da infecção. E apesar de ser considerado padrão ouro, não é isento de falsos negativos.

“Ele é indicado quando começa os sintomas. Do dia zero do início dos sintomas ao dia 8, se você fizer o PCR vai dar positivo. Caso você faça esse exame depois desse tempo, o PCR vai dar negativo porque o RNA só fica disponível no fluído biológico do paciente durante esse tempo, 8 dias praticamente”, explica o biomédico e virologista Raphael Rangel.

Sendo assim, para alguém descobrir se já teve contato com o vírus anteriormente, é necessário realizar o exame sorológico, o chamado teste rápido, porque ele é capaz de detectar se a pessoa já desenvolveu anticorpos contra a doença.

Vale, no entanto, destacar que esse tipo apresenta melhor resultado em pacientes que tiveram a forma grave da doença. Pessoas que tiveram sintomas leves ou que evoluíram sem manifestar sintomas podem desenvolver os anticorpos mais tardiamente ou nem mesmo desenvolvê-los.

Dessa forma, pode haver resultados negativos de sorologia mesmo em casos anteriormente confirmados por  testes de PCR.


#NessaQuarentenaEuVou – Dicas durante o isolamento:


Tipos de testes para coronavírus disponíveis no Brasil

Caso o paciente apresente os sintomas da covid-19, o profissional de saúde é quem deverá solicitar exames laboratoriais. São eles:

  • RT-PCR

O teste pelo método RT-PCR consiste na coleta de amostra da secreção respiratória que permite identificar o vírus no período em que está ativo na nasofaringe. Essa amostra é colhida com uma haste flexível de algodão do fundo do nariz. E essa coleta deve ser feita entre o terceiro e sétimo dia após a pessoa apresentar sintomas. Depois desse período, a quantidade de RNA tende a diminuir.

testes coronavírus
Crédito: Filadendron/istockTeste RT-PCR pode ser feito logo no início dos sintomas do coronavírus

A confirmação se a pessoa está ou não com a covid-19 é feita através da detecção do RNA do Sars-Cov-2 na amostra analisada. Por ser mais específico, o RT-PCR não é realizado por todo laboratório brasileiro. No site do Ministério da Saúde é possível ver a lista de laboratórios.

  • Sorológico

O teste sorológico tem sido considerado como um método auxiliar para o diagnóstico do novo coronavírus. A vantagem deste tipo é que ele é rápido e de simples execução. A coleta é feita a partir de uma gota de sangue e o resultado sai em menos de 1 hora.

Sintomas de covid-19

Vale aqui relembrar quais os sintomas mais comuns da covid-19. Os três principais são: febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem apresentar dores, congestão nasal, dor de cabeça, conjuntivite, dor de garganta, diarreia, perda de paladar ou olfato, erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés.

Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas apresentam apenas sintomas muito leves, mas mesmo assim transmitem o vírus para outras.

Quando buscar ajuda médica?

Se você tem sintomas leves, como tosse ou febre leve, geralmente não é necessário procurar atendimento médico. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e também do Ministério da Saúde é isolar-se em casa e observar os sintomas.

Se ficar na dúvida, é valido fazer uma consulta médica a distância. A plataforma Missão Covid reúne médicos que atendem gratuitamente orientando casos suspeitos de coronavírus. (Acesse aqui)

No entanto, se os sintomas persistirem e houver dificuldades de respirar ou dor no peito, é necessário buscar ajuda médica. Quando for ao centro de saúde, use uma máscara, fique a pelo menos um metro de distância de outras pessoas e não toque nas superfícies com as mãos.

Compartilhe: