Últimas notícias:

Loading...

OMS faz alerta sobre os riscos da disseminação da varíola do macaco

Já são mais de 3.400 casos da doença em 50 países, no atual surto

Por: Redação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta quarta-feira, 29, que a “transmissão sustentada” da varíola  do macaco em todo o mundo pode fazer com que o vírus comece a se alcançar os grupos de alto risco, como grávidas, pessoas imunocomprometidas e crianças.

A transmissão sustentada é caracterizada pela OMS como uma doença que pode ser transmitida facilmente de uma pessoa para outras na população.

A entidade também informou, em coletiva de imprensa, que está investigando relatos de crianças infectadas, incluindo dois casos no Reino Unido, além de acompanhar relatos na Espanha e na França. Todos os casos com quadros leves da doença.

varíola do macaco
Crédito: VisualDXVaríola do macaco é caracteriza por bolhas na pele

“Não temos casos severos, mas é um grupo que nos preocupa. Precisamos fazer o possível para controlar o surto”, disse o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud.

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom, disse que existe um urgência em organizar uma resposta coordenada internacional e pediu que os países aumentem a vigilância epidemiológica para a doença e a testagem.

Ele também frisou que é importante conscientizar sobre sintomas e formas de transmissão. “Com grandes aglomerações acontecendo ao redor do mundo, existem oportunidades de acabar com o estigma ao redor do vírus e disseminar informação para que as pessoas possam se proteger”.

Até o momento, o balanço da OMS indica que a doença já tem casos confirmados em 50 países fora do continente africano, onde o vírus é endêmico.

São mais de 3.400 casos da doença e pelo menos uma morte desde o início do surto em maio, de acordo com a OMS.

Sintomas da varíola do macaco

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, os sintomas da varíola do macaco são semelhantes, mas mais leves do que os sintomas da varíola. Eles geralmente incluem febre, calafrios, erupção cutânea, além de inchaço dos gânglios linfáticos.

A erupção associada à varíola do macaco pode ser confundida com outras doenças, como por exemplo, sífilis secundária, herpes e varicela-zóster.

O período de incubação (tempo desde a infecção até os sintomas) da varíola do macaco é geralmente de 7 a 14 dias, mas pode variar de 5 a 21 dias.

<h3>Como a doença é transmitida?</h3>
Basicamente, a varíola do macaco é transmitida quando alguém tem contato próximo com uma pessoa infectada.

O vírus tem algumas portas de entrada conhecidas; são elas: lesões na pele, olhos, nariz e boca.

varíola do macaco
Crédito: Getty Images/iStockphotoVírus da varíola do macaco pode ser transmitido a partir do contato com as bolhas

Portanto, a transmissão pode ocorrer a partir do contato direto com as bolhas na pele, caraterísticas da doença, pela tosse ou espirro de pessoas infectadas e também pelo contato com roupas de cama com fluidos contaminados.

O período de transmissão da doença se encerra quando as crostas das lesões desaparecem.

Compartilhe:

Tags: #Doença
?>